segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Vinicius de Oliveira "A Alma do Brasil"!

Premiado como melhor diretor, no 10º Curta Cabo Frio, Vinícius de Oliveira mostra por que, além do ator, é um diretor promissor, do cinema brasileiro.

Na Jornada literária de Passo Fundo, em 2001, em pleno Rio Grande do Sul, encontro Vinicius de Oliveira, então, com 16 anos de idade, interpretando uma peça sobre o poeta Carlos Drummond de Andrade. Um espetáculo onde Vinícius interpretava o maior poeta brasileiro, quando este ainda era adolescente. Vinicius, já estava bem conhecido pela participação, como o protagonista Josué, no filme "Central do Brasil", de Walter Salles um ator mirim, que disputou espaço com centenas, talvez milhares de outros  pretendentes à participação no filme. Uma história bela e inesquecível.
"Central do Brasil" é responsável pela elevação da autoestima do cinema nacional do Brasil. Foi um dos filmes da retomada do Cinema Brasileiro, que começara praticamente 5 anos antes com "Carlota Joaquina - Princesa do Brasil" de Carla Camuratti e 4 anos antes do inesquecível "Cidade de Deus" de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Depois disso, passei a acompanhar a carreira deste menino, porque, quando estive em Passo Fundo, me chamou a atenção, principalmente, seu caráter e sua humildade.
O garoto que entrou pela porta da frente do cinema nacional, participou de um filme icônico da cinematografia brasileira e que tinha, na época, a atenção quase que unanime, no encontro de Passo Fundo, na verdade, era um jovem curioso, brincalhão, e que observava todo o movimento da grande festa literária brasileira. Neste mesmo ano, em que fotografei intelectuais da literatura como: Frei Betto, o chileno António Scármettá, Ziraldo, Márcia Medeiros, Paula Mastrobertti. Lá estava ele, apenas um jovem de 16 anos, despontando para a vida artística, do qual já começara, com um tremendo sucesso.


Em 2001, Vinícius de Oliveira, rodeado de fãs e já segurando a "Mala da Fama"!


APROVEITE PARA VER O TRAILER DO FILME QUE CHAMOU A ATENÇÃO DO BRASIL.



CURTA O TRAILER OFICIAL DO FILME - LINHA DE PASSE - DE 2008.


VEJA O TRAILLER DO FILME "BOI NEON" OUTRO BELO FILME COM VINÍCIUS



Vinicius de Oliveira - Prêmio de Melhor Direção no 10º Curta Cabo Frio - 2017.

Sem dúvida que um dos pontos altos do festival Curta Cabo Frio é a curadoria, a assertividade em escolha de filmes, o melhor da produção nacional e internacional: Quem não lembra dos inesquecíveis "Satori Uso" de Rodrigo Grota, ou o incrível "Amor Bassura", um filme  paraguaio; lembro que estava junto com a Bárbara Morais, hoje montadora de filmes. Ficamos encantados ao ver um filme tão singelo. Foi a primeira vez que vi um filme paraguaio, tempos depois, o filme "7 Caixas" da dupla Maneglia-Schembori, me encantou e me ver o cinema latino americano com outro olhar. O papel exercido pela curadoria de um festival é fundamental na formação do "cinéfilo de carteirinha".
Até agora foram 10 edições do Festival Curta Cabo Frio com uma média de 700 filmes exibidos em 10 anos. Ufa... Este ano, 2017, tivemos o mais austero de todos, devido à total contenção de verbas, mas, apesar de todas as dificuldades, mais uma vez vimos que a curadoria é a alma de um bom festival. Nos dias que se seguiram as mostras, tanto na  Casa Scliar, como no Charitas, mobilizou parte da juventude cinéfila de Cabo Frio.

"Crime de Honra - Ensaio para Intolerantes" - de Vinícius de Oliveira,
prêmio de melhor direção no 10º Curta Cabo Frio.
Uma grata surpresa, este ano, entre tantos outros filmes, foi o curta "Crime de Honra - Ensaio para Intolerantes",  de Vinicius de Oliveira, que faturou o prêmio de Melhor Direção , um dos mais importantes prêmios cinematográficos, conferido a um realizador. Um prêmio merecido para um filme que, além de contar com ótimo elenco, tem um roteiro ágil e garante um clima sufocante a cada momento, a ótima montagem é bem criativa e se garante do começo ao fim. 
A história tem engajamento politico, já que fala do machismo arraigado na sociedade brasileira, a partir de um grupo de amigos "pegadores" que saem para curtir a noite paulistana, com muita bebida, diversão e sexo. O desdobramento é uma paulada na sensibilidade do expectador. O filme mexe com o coração do público, finalizando com aquele silêncio que deixa todo mundo apreensivo. Logo após a exibição e a tensão vivida, foi bonito ver o público explodir numa chuva de aplausos, consagrando um filme que está, ainda, no seu começo de caminhada.


Vinícius de Oliveira, diretor do filme "Crime de Honra - Ensaio para Intolerantes",
prêmio de melhor diretor no "10º Curta Cabo Frio - 2017.

Vinícius de Oliveira, uma trajetória de Sucesso.

Quem conhece Vinícius de Oliveira, sabe de sua paixão pelo Cinema Nacional. Seu nome começou a surgir quando ele fez o inesquecível "Central do Brasil" de Walter Salles, 1998, filme premiadíssimo em que ele contracena com a poderosa Fernanda Montenegro. Vinícius dá um show neste filme, e entra para o panteão de atores mirins que encantaram o Brasil. O impacto da sua presença no cinema nacional lhe rendeu, só pode ser comparado ao "Pixote - A Lei do Mais Fraco" de Hector Babenco, e que consagrou o ator mirim, eterno, do cinema brasileiro: Fernando Ramos da Silva.
Três anos depois de Central do Brasil, Vinícius brilhou noutro filmaço de Walter Salles, "Abril Despedaçado", onde contracena com feras do cinema nacional como José Dummont e Rodrigo Santoro. Já em 2008, ele reaparece, adulto, no filme "Linha de Passe", de Daniela Thomas e Walter Salles, desta vez, o ator mirim carismático, abre espaço para o adulto consciente e sensível, numa história que arrebatou corações no festival de Cannes. Vinícius nunca parou de filmar, nasceu para fazer cinema, é, sem dúvida, um dos fortes nomes do cinema nacional do momento e, agora, ele é também, diretor e seu filme "Crime de Honra - Ensaio para Intolerantes". O filme traz um cineasta engajado nas questões nacionais, mostrando a fúria do machismo brasileiro. Vale conferir.

(Jiddu Saldanha - Blogueiro)

sábado, 27 de maio de 2017

Videos motivacionais, a partir de haicais de Jiddu Saldanha

Resolvi utilizar o haicai, um gênero de poesia japonesa, para fazer uma reflexão sobre 6 temas importantes, hoje, para ouvir, ver e viver, através da minha série de vídeos: Papo Livre e Leve. 
Venha comigo e me contate para que eu possa fazer uma visita à sua escola e falar pessoalmente com os alunos.














domingo, 2 de abril de 2017

11 dias no Rio Ródano, Pierre Passot nada da Suiça até a França - Atravessando o rio Ródano (Rhône)

Os franceses são conhecidos pela determinação e capacidade de realização.  Desafiar o desconhecido, o imponderável, foi uma opção de vida, escolhida pelo explorador Pierre Passot, um homem revestido de força e energia suficiente para dar um passo de grande significado, em favor de seu ideal. Proteger, discutir e sugerir caminhos, para evitar que grandes catástrofes ambientais aconteçam. Esta é a sensação que tenho, cada vez que encontro este francês de 70 anos, que acaba de nadar 11 dias no Rio Ródano, repetindo um feito de 30 anos atrás; que aliás, fora realizado por ele mesmo. Nunca, ouve uma travessia assim, utilizando uma nadadeira, Pierre Passot, desafiou a fúria das águas geladas e às vezes, turbulentas, para mostrar ao mundo, as condições de um rio que atravessa parte da Europa"!
Seu intuito maior, foi seguir despertando um olhar para o planeta, tanto que decidiu iniciar esta ação, no dia mundial da água, 27

Saida de Genebra, na Suiça, chgada em Saints Louis du Rhone.
Já está começando a circular pelo mundo, o impacto deste feito impressionante: Pierre nadou de manhã, tarde e noite, em horas contínuas e com descanso planejado. Alimentação adequada, e acampando à margem do Ródano, ele chegou ao seu destino, com energia suficiente para fazer o caminho de volta, se assim o quisesse. Ao sair de Genebra, na Suiça, atravessou diversas cidades da frança, como Bellegarde, Lyon, Givors, Valence Avignon, Arles e Port Saints Louis du Rhone. A Chegada no dia 01 de abril, não teve festa, foi discreta e refletiu a personalidade do próprio nadador. Um home discreto, de poucas palavras, mas com um humor incrível.

(Jiddu Saldanha - Blogueiro)


quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Quando a solidão acorda, quem dorme em nossa alma?

Uma reflexão a partir de um sentimento, uma sensação, algo que nos transporta para universos melancólicos e nos abre, num certo sentido, a percepção para descobertas mais abrangentes e profundas sobre nós mesmos.

Falar de solidão é mergulhar na essência de si mesmo, buscar algo além das aparências e rever situações da vida para preenchê-las com novos significados, novas descobertas. Falar de solidão é abrir-se totalmente para outras percepções. Nada é por acaso, quando temos sentimentos complexos e não conseguimos lidar com eles, é natural que culpemos os outros, mas será que isso tem a ver com o outro, ou com nós mesmos?

Leia o poema abaixo e reflita sobre o tema deste vídeo!

*
o sopro da vida 
que ouço no telhado
é um vento forte

que distrai sutilmente
enquanto choro sozinho

(Jiddu)
do livro Rastro de Pluma - 2016 editora mondrongo




sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

PROJETO CINEMA POSSÍVEL COMPLETARÁ SEU PRIMEIRO CICLO DE 07 ANOS EM 2014!


Cheio de projetos para realizar, o Cinema Possível nunca parou desde que surgiu, em 2007. Foram viagens intermináveis ao mundo do audiovisual, onde aprendemos a fazer de tudo, lendo manuais de cinema e tendo uma aula aqui outra ali, lidando com a precariedade do mercado, a falta de investimento em novas iniciativas; driblamos todos os tipos de dificuldades para criar nossa história com o audiovisual, apoiado nas novas tecnologias.
Os resultados não foram poucos, podemos dizer que, nestes 7 anos, realizamos sonhos de muitas pessoas. Colocamos novos atores em cena, fizemos filmes com obras de poetas inéditos e consagrados, de Caio Fernando Abreu a Ronaldo Werneck, de Hugo Pontes e Herbert Emanuel., Criamos videoclipes com músicos, alguns desconhecidos, mas todos com muito talento, entre eles: Andra Valladares, Paulo Ciranda, Mako Brasil e Marcos Boi Blues, só para citar alguns. Divulgamos a literatura e a música brasileira, além de atrairmos para nossos projetos, jovens que investiram no cinema como profissão. Um bom exemplo é a montadora Bárbara Morais, que hoje em dia, alça vôos ousados no universo do cinema nacional e do audiovisual brasileiro.

"Poesia Proibida", um clássico do projeto Cinema Possível, sobre o poeta de Campos dos Goytacases, Artur Gomes. Depois de percorrer festivais e mostras independentes, o filme está totalmente disponível no youtube.


Atraímos para nossa rede de convivência, parceiros como a UEAP – do Amapá, uma universidade visionária que investiu no cinema possível como forma de ampliar seu leque fora da cidade de Cabo Frio, gerando uma parceria incrível com o grupo TATAMIRÔ DE POESIA, no Rio de Janeiro, depois fomos para Bento Gonçalves/RS onde exibimos boa parte de nossos filmes, com apoio da secretaria de cultura e o Congresso Brasileiro de Poesia.

Videoclipe realizado em 2013, "Maria das Quimeras", lança em audiovisual a música da cantora Andra Valladares, a partir de um poema de Florbela Espanca.


Em 2008, quando criamos nosso próprio cineclube (CINE MOSQUITO), criamos oportunidade de exibição de filmes alternativos em parceria com uma rede de aspirantes a cineastas, premiados em festivais ou não, mas que tiveram seus filmes exibidos fora do âmbito das competições, apenas para fruição do público. Nosso cineclube viajou para diversas cidades brasileiras e hoje, computamos, desde 2008, 40 eventos do “Cine Mosquito”, sem qualquer dependência de apoio oficial ou patrocínio. Nesta relação com o público que vieram nos assistir, mostramos a produção do cinema nacional de Curta Metragem e levamos os cineastas ao conhecimento do nosso público.

Um dos primeiros filmes do projeto Cinema Possível, realizado em 2008, "Guardar" é um poema de Antônio Cícero, e que marcou o caminho da estética por nós, sugerida, através do cinema Possível.


Enfim, o Cinema Possível, tem ainda muito que realizar, e guardamos para 2014, quando iremos comemorar nosso primeiro ciclo de 7 anos, alguns novos lançamentos que virão, a todo vapor, para encantar e ampliar nossa relação com o público que nos apoia. Nossa palavra de ordem é uma só, GRATIDÃO, por chegarmos até aqui, graças, claro, ao apoio daqueles que sempre acreditaram em nós.

Previsto para Março de 2014, o filme "Cidade a Contraluz" é a primeira co-produção do Cinema Possível, com a escola de Cinema Darcy Ribeiro, hoje uma grande referência nesta arte.


Enfim, com um longo caminho pela frente, esperamos, crescer ainda mais e levar ao público as diversas possibilidades de audiovisual, com uma pegada autêntica e que tenha a marca, pura e simplesmente, ao sabor das batalhas diárias e cheias de entusiasmo na arte das realizações possíveis.
Visite nosso canal no youtube: www.youtube.com/tvpossivel

Jiddu Saldanha – Coordenador e criador do projeto Cinema Possível, desde 2007

domingo, 7 de abril de 2013

Do Espontâneo ao Contemporâneo, um novo despertar!


Foram muitas as histórias acerca de um dos grandes momentos para as artes visuais em Cabo Frio; a inauguração da exposição: “Do Espontâneo ao Contemporâneo” Com adesão da maioria dos artistas locais, o CAV (Centro de Artes Visuais) teve sua inauguração em grande estilo, mais do que isso, reinventou a vida cultural da cidade. É cedo ainda pra falar, mas de cara, já podemos dizer que a boa localização do museu somado ao trabalho monumental de uma equipe determinada, conseguiu fazer, em uma noite, o que há muito tempo, a cidade pedia mas, por estranhos desígnios, não acontecia.
Uma noite inesquecível, com uma multidão de cabofrienses
afluindo para o CAV - Centro de Artes Visuais de Cabo Frio.
A noite do dia 05 de abril vai entrar para a história da arte na cidade, foi um momento especial, uma espécie de recorte no tempo, onde toda sua cultura visual convergiu para um ponto central, o CAV, que será o ponto de partida para estimular o mercado cultural e aprimorar o balizamento estudantil nas artes visuais local.  Talvez um respiradouro, para uma cidade que depende quase que exclusivamente de turismo de praias e da especulação imobiliária, embora tenha, no seu bojo, uma das maiores concentrações de artistas do país, proporcionalmente falando.
Desde a preparação do Primeiro Salão de Arte de 2013, até o dia seguinte à inauguração, a equipe não parou de trabalhar, exaustivamente, para que se pudesse criar um elo perfeito entre o cidadão, os artistas, os estudantes e até, possíveis investidores, da cidade, com um olhar de esperança e acreditando profundamente de que as coisas estão realmente se firmando e um caminho de luzes está chegando para quem ama a arte. Poder ver nos olhos de cada artista presente, a cumplicidade e o desejo de ver sua obra contemplada e também questionada.
Na primeira mostra de arte da cidade em 2013, Ivan Cruz alerta para a “Inclusão do olhar”, para uma cumplicidade entre todas as forças produtoras e criadoras, com um destino voltado, exclusivamente, para uma discussão ampla sobre os caminhos artísticos que a cidade quer seguir. Com a realidade batendo à porta do sonho, parece, acreditamos, que há um novo despertar artístico, renovador das energias e conexão com um brilhante futuro que já se manifesta no presente.

Veja o Vídeo e confira este momento ímpar!


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Pierre Passot na Rio+20 - 2012


Pierre Passot vista a Cúpula dos
Povos na Rio+20.
Pierre Passot, o mergulhador Francês, Pierre Passot, residente na França e com vindas constantes ao Brasil, está trazendo para nós, brasilerios, muito do seu conhecimento.  Ele não só está divulgando a arte do mergulho que faz da França uma das referências mundiais na área e tem na figura de Passot como recordista mundial de grandes eventos ocorridos durante o século XX.
Dentre os tantos marcos na vida deste grande profissional do mar, só para citar alguns, a travessia que começou no domingo de 3 de abril de 1977 em que ele entrou nas águas frias de Vouvry, a algumas dezenas de kilometros antes do Lago Léman na Suíça. Seu desafio era superar os quase 700 km que liga o Rhône, da Suíça, até o Mar Mediterrâneo, em Marseille, França.
Outro feito incrível do mergulhador foi  no ano de 1983 quando ele realizou um mergulho que durou 236 horas, Record que ainda não foi superado e que está relatado no livro de Record QUID,  2002  pagina 1385.
No dia 15 de Junho, Pierre Passot fez questão de vir ao Rio de Janeiro para conhecer a Rio+20 e esteve na Cúpula dos Povos, no aterro do Flamengo, onde concedeu à TV Possível uma entrevista com tradução simultânea para que pudéssemos, entender, de alguma forma, como funciona seu trabalho e qual sua motivação para se dedicar à profissão do mar.
Durante a convivência com passot ficamos com a impressão de tratar-se de um homem de grande coragem, senso de humor único e a modéstia característica de quem faz da vida muito mais do que um codiano comum, mas que, antes, dedica-se às grandes causas.  Em passeio pela cúpula dos povos, Passot, sempre muito atencioso, conheceu culturas diferentes e fez questão de se deixar fotografar ao lado de brasileiros de diversas etnias.

Pierre Passot ao lado de jovens da etnia Pataxó, na cúpula dos povos, durante
a Rio+20. no dia 15 Junho de 2012
Falou sobre sua paixão pelo mar e seu amor pelo Brasil, de forma muito discreta, comum à sua cultura, Passot não deixou de se encantar com a vista maravilhosa do Rio de Janeiro e estava sempre atento ao universo de brasilidade que o acercava. Como pessoa determinada e focada no seu ideal, ele visitou, também, o Museu Naval e fez indagações sobre a arte do mergulho no Brasil, demonstrando, inclusive, conhecimento prévio de como esta profissão é vista por nós, brasileiros.
Durante entrevista gravada para TV Possível, Pierre Passot foi traduzido em tempo real por Sônia Mar; perguntamos sobre sua abordagem, a forma como lida com o público infantil e jovem e quais as suas expectativas em relação à maior divulgação do mergulho no Brasil. Segue a entrevista em nossa página e esperamos que vocês, que acompanham a TV POSSÍVEL por aí, se entusiasmem e conheçam a nobre arte deste mestre dos mares.